• Lineu Passeri Jr.

Ruído hospitalar: seus efeitos e como reduzir

Atualizado: 25 de ago.

Com médicos, enfermeiros e funcionários andando de um lado para o outro, ambulâncias chegando a todo o momento, pacientes chegando e saindo a cada minuto, o ambiente hospitalar pode se tornar caótico e com o ruído difícil de controlar.

Atualmente, os hospitais têm se preocupado com esse ruído excessivo produzido pelo seu funcionamento e buscado soluções para tentar reduzi-lo, na expectativa de melhorar a experiência de médicos, pacientes e funcionários.

Pensando nisso, trouxemos alguns pontos para você entender melhor sobre ruído em hospitais e espaços de saúde em geral, os desafios para o seu controle e como o barulho pode prejudicar a saúde de toda a comunidade hospitalar.


Por que existem tantos ruídos hospitalares?

Todo lugar com uma grande concentração de pessoas terá, naturalmente, níveis de ruído mais elevados.

Em hospitais, esse problema se torna mais acentuado devido à elevada quantidade de máquinas (geradores, centrais de ar condicionado, centrais de gases medicinais e exaustores, por exemplo) e equipamentos (tomógrafos e equipamentos de ressonância magnética, por exemplo) que, muitas vezes, estão ligados simultaneamente.

Além disso, o entra-e-sai de ambulâncias e o trânsito de carrinhos de distribuição de refeições e recolhimento de louça acabam por criar um ambiente sonoro incômodo para médicos, pacientes e funcionários.


Pessoas em movimento

Os médicos e enfermeiras não param quietos. São plantões inteiros andando de um lado para o outro do hospital, às vezes correndo, discutindo diagnósticos e, frequentemente, transportando pacientes em macas ou cadeiras de rodas. Funcionários da copa e da limpeza também circulam com seus carrinhos por todo o ambiente hospitalar.

Assim, o ruído hospitalar é sempre um misto de ruído aéreo (vozes, choque de louças e talheres, etc.) e de impacto ou vibração (pessoas em movimento acelerado, o atrito das rodas dos carrinhos de comida e limpeza com o piso) e, por isso, ele deve ser objeto de uma abordagem mais ampla.


Máquinas e equipamentos

Além das pessoas, as máquinas e os equipamentos hospitalares também são responsáveis por produzir grandes níveis de ruído (aéreo e de impacto) nesses espaços, contribuindo para tornar o ambiente mais perturbador e incômodo para médicos, pacientes e funcionários.

São centrais de ar condicionado, elevadores, monta-cargas, bombas e centrais de gases medicinais funcionando em sua potência máxima, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Eventualmente, os grupos geradores são acionados, aumentando significativamente os níveis sonoros dessas máquinas.

Mas há também os equipamentos hospitalares, como os tomógrafos, equipamentos de ressonância magnética, aspiradores, monitores de sinais vitais e ventiladores mecânicos, espalhados por todo o hospital.

Por fim, o ruído das ambulâncias que chegam a toda hora, dos televisores ligados nos apartamentos, dos telefones e interfones, das copiadoras e impressoras contribui para a formação de um ambiente acústico caótico.


Por que diminuir o ruído hospitalar?

Além do inconveniente de se trabalhar ou de permanecer em um local ruidoso, a exposição a elevados níveis sonoros por muito tempo pode causar ou agravar diversos tipos de problemas de saúde, como:


Agravamento de sintomas

Durante o período de internação, o ruído hospitalar pode contribuir para o desenvolvimento de diversos distúrbios, como irritabilidade, cefaleia, elevação do batimento cardíaco, aumento da pressão arterial, perda de atenção, insônia, estado de confusão, entre outros problemas.


Transtorno de estresse pós-traumático

Mesmo depois de receber alta e voltar para casa, muitos pacientes relatam continuar ouvindo avisos sonoros de aparelhos e outros ruídos hospitalares, o que é um sintoma do Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Assim, os barulhos característicos dos hospitais não apenas podem dificultar a melhora do paciente durante a internação, como também dificultam a sua recuperação em casa.


Soluções para a redução do ruído hospitalar

Como podemos perceber, o ruído hospitalar é um problema considerável não apenas para os pacientes, mas também para os médicos e funcionários que estão diariamente expostos a níveis elevados de pressão sonora, por 8 horas ou mais. Para diminuir esse inconveniente, existem algumas soluções:


Utilizar portas e janelas acústicas nos apartamentos

A instalação de portas acústicas nos apartamentos é uma alternativa bastante eficiente na atenuação do ruído aéreo proveniente dos corredores, enfermarias e ambientes próximos.

Já a instalação de janelas acústicas nos apartamentos é igualmente uma alternativa bastante eficiente na atenuação do ruído proveniente de ambulâncias e do meio externo.


Forro acústico para absorção sonora em áreas comuns

Os lugares mais movimentados de um hospital são os corredores e áreas comuns. Por isso, investir no condicionamento acústico desses espaços é fundamental.

Além dos corredores, os leitos de enfermaria, quartos, UTI e locais de longa permanência de pessoas também são lugares que merecem uma atenção especial para essas questões, desde que a solução acústica atenda aos requisitos sanitários de não proliferação de fungos, bactérias e outros micro-organismos.

Uma solução simples para melhorar o condicionamento acústico dessas áreas e, por conseguinte, melhorar a sua ambiência, é investir em forros com alto coeficiente de absorção, diminuindo assim a reverberação e a propagação sonora por múltiplas reflexões.


Isolamento de casas de máquinas e equipamentos hospitalares

Verificar os níveis sonoros e de ruído de impacto produzidos pelo funcionamento de elevadores, monta-cargas, geradores, centrais de gases medicinais, bombas de recalque, centrais de ar condicionado e todos os outros equipamentos que fazem parte do edifício hospitalar antes de sua aquisição e instalação é de extrema importância, pois assim é possível mitigar a interferência do ruído proveniente de cada uma dessas fontes e inibir a sua propagação.

Prever sistemas simples – mas eficazes – de isolamento sonoro nos ambientes que receberão equipamentos hospitalares como tomógrafos, equipamentos de ressonância magnética, respiradores, monitores de sinais vitais, ventiladores mecânicos, etc.


Esperamos que você tenha gostado de saber sobre ruído em hospitais e ambientes de saúde. Para aprender mais sobre acústica de edificações, acústica urbana, acústica de salas e estúdios de gravação, acesse o nosso blog!

34 visualizações0 comentário